RESENHA DO LIVRO A TEIA DA ARANHA DE AGATHA CHRISTIE

Chega o Nº 3 da revista que está conquistando os leitores de suspense, terror e ficção policial.
novembro 25, 2020
SINOPSE E EDITAL DA ANTOLOGIA “LÍRICA URBE”
dezembro 6, 2020
Show all

 

A Teia da Aranha

Uma peça teatral de Agatha Christie adaptada por Charles Osborne

 

Quando eu peguei a edição de bolso da LPM para ler não imaginava as horas divertidas que eu ia passar com o livro. A história se passa em praticamente um único ambiente, a sala de visitas de uma casa. Clarissa, uma jovem mulher está casada com Henry Hailshaw-Brown e cuida da enteada Pippa, uma adorável pré-adolescente que sofreu muito com a mãe Miranda, ex-esposa de Henry, e seu amante Oliver Costello.

A família Hailshaw-Brown aluga uma mansão numa cidade do interior da Inglaterra e se muda para dar a menina um pouco mais de segurança e estabilidade. A casa foi alugada com os móveis e com a jardineira Miss Peake, uma figura um tanto excêntrica. Para ajudar com os afazeres domésticos, Clarissa, contratou o Casal Elgin.

Na casa encontram-se hospedados o senhor Rowland e Jeremy, um jovem e belo rapaz que mostra interesse pela bela, encantadora e nem um pouco ingênua Sra. Hailshaw-Brown.

Clarissa se encontra sozinha com Pippa na casa determinada noite e recebe a inesperada visita de Oliver Costello, após discutirem sobre a menina, Oliver vai embora e reaparece momentos depois na sala de Clarissa, morto.

Clarissa liga para o clube de golfe onde seus hospedes e um amigo da região, o Juiz de Paz Hugo, estão jantando e pede para que eles venham correndo para a casa, pois Henry chegara a qualquer momento e ela precisa esconder o corpo, para que os convidados importantes de Henry não percebam nada.

Porém, alguém secretamente liga para a policial e quando menos eles esperam um investigador está a porta da mansão, perguntando por um assassinato. Eles escondem o corpo e uma aventura cheia de plot twists acontecem, envolvendo todas na casa.

Clarissa e Miss Peake são as personagens mais divertidas da história. Clarissa é adorável, e tem uma relação gostosa com a enteada.

Confesso que Clarissa se tornou uma das personagens de Agatha que eu mais gostei e me identifiquei. E durante a leitura imaginei os atores no palco representando cada personagem naquela sala.

Nota 10

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.